Belezas do cerrado Goiano

Depois de desfrutar de um banho de mar em Salvador partimos para o nosso último destino no Brasil, Goiás. Aqui o plano seria visitar o famoso Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e também aproveitar a escalada neste estado Brasileiro, mais precisamente na região do Parque Nacional dos Pirineus.

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros protege uma região de 24.000 km2 de cerrado de altitude com diversas formações vegetais, centenas de nascentes e cursos de água, rochas com mais de um bilhão de anos, e paisagens de rara beleza. É uma zona especialmente ligada ao turismo, não só pela suas cachoeiras e caminhadas mas também pelo seu lado místico.

Desfrutamos destas belezas durante uma semana, passámos pelos 12 kms da Trilha dos Canions, para conhecer os belos canions e a cachoeira da Carioca; o Vale da Lua com rocha cinzenta de aspecto lunar; e as Cataratas dos Couros com as suas águas gélidas mas deliciosas.

Informações úteis:

  • Como chegar: a melhor forma de chegar e usufruir do lugar é de carro, os principais atrativos ficam longe uns dos outros e não existem muitas opções de transporte.
  • Alojamento: tanto São Jorge, onde fica a cede do parque, como Alto Paraíso oferecem muitas opções de alojamento.
  • Outros: a entrada no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é gratuita e é possível fazer algumas caminhadas para conhecer os canions e cachoeiras dentro do parque. Fora do parque existem muitos atrativos, em quase todos é necessário pagar a entrada. O site ICMBio é possível encontrar mais informações.

Morro do Macaco

Depois da nossa breve passagem pelo Morro do Macaco em 2015, este era um lugar que não queríamos deixar de visitar. O Morro do Macaco é um dos locais de escalada desportiva mais importantes da região com cerca de 80 vias desportivas de grande qualidade num quartzito muito bonito.

Para aceder ao local de escalada é necessário passar pela propriedade privada do Sr. Erino e da Dona Antonia, por esse motivo é necessário sempre ser cordiais e respeitadores ao frequentar o lugar.

Aconselhamos a quem queria frequentar o local para ler o croqui disponibilizado por um escalador local de forma gratuita e que visa educar, informar e ajudar todos os que queiram escalar no local.

Informações úteis:

  • Como chegar: para chegar no lugar é indispensável ter carro, no croqui tem todas as indicações necessárias.
  • Alojamento: a melhor opção para quem quer escalar no local é ficar em Pirenópolis onde tem bastante oferta de alojamento, uma das opções é o Casamatta Hostel.
  • Guia escalada: é possível fazer o download do croqui aqui.
  • Época do ano: a melhor época de escalada é no inverno entre Maio e Outubro, onde a precipitação é quase nula e a rocha está a sombra o dia inteiro.
  • Tipo de rocha: quartzito.
  • Outros: para além da escalada no Morro do Macaco existe escalada desportiva no Parque Nacional dos Pirineus, no Morro do Cabeludo e no Morro dos 3 Picos.

Cocalzinho

Apesar de a nossa experiência em boulder ser quase nula não podíamos deixar de conhecer um dos lugares de boulder mais famosos do Brasil. A Fran e o Thiago foram os nossos professores e deu para evoluir um pouco, a Patrícia conseguiu fazer o seu primeiro V2 e o Daniel o seu primeiro V3. Foi uma grande experiência que nos deixou com vontade de repetir.

Em Cocalzinho de Goiás acontece todos os anos os festivais de escalada Rockocal e Cocalcinhas.

Informações úteis:

  • Como chegar: aqui também o carro é indispensável, para chegar os boulders de Cocalzinho de Perinópolis deve-se seguir no sentido do Parque Nacional dos Pirineus. No site 27crags tem a localização de alguns dos sectores.
  • Alojamento: a melhor opção para quem quer escalar no local é ficar em Pirenópolis onde tem bastante oferta de alojamento, uma das opções é o Casamatta Hostel.
  • Guia escalada: no site 27crags existem bastante boulders registados.
  • Época do ano: a melhor época de escalada é no inverno entre Maio e Outubro, onde a precipitação é quase nula.
  • Tipo de rocha: quartzito.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *